Delfim Netto e as empregadas

Do R7

Delfim Netto compara domésticas a animais e recebe notificação de ONG

O ex-ministro da Fazenda Delfim Netto comparou empregadas domésticas a animais em um programa de TV. Apesar de ele ter negado a intenção de ofender a categoria, a ONG Doméstica Legal enviou ao ex-ministro uma notificação extrajudicial (um documento enviado a ele por um cartório) pedindo retratação pública.

Delfim fez a comparação no último domingo (4) enquanto participava de uma entrevista no programa Canal Livre, da TV Bandeirantes. Ele lamentou a queda na oferta do número de empregadas domésticas no mercado de trabalho enquanto analisava a ascensão de classes no Brasil.

– Há uma ascensão social incrível. A empregada doméstica, infelizmente, não existe mais. Quem teve este animal, teve. Quem não teve, nunca mais vai ter.

O presidente da ONG, Mario Avelino, afirmou ao R7 que o ideal é que Delfim vá novamente a um canal de televisão pedir desculpas.

– Não se chama 7 milhões de trabalhadores de animais. Ele foi muito infeliz na declaração.

Segundo Avelino, os trabalhadores terão o direito de pedir na Justiça uma indenização por danos morais caso a retratação não seja feita.

– Que sirva de exemplo para quem tem projeção pública. Que ele assuma a humildade do erro, ou as consequencias.

Para o presidente de ONG, Delfim não estava mal intencionado, mas precisa ter responsabilidade sobre as declarações que dá em público em razão dos diferentes níveis de instrução da sociedade.

– Honestamente, não acho que ele tenha dito por maldade, mas o linguajar comum entre os economistas não chega a todos os trabalhadores. Ao contrário: desvaloriza um trabalho que já é discriminado. Os domésticos têm o direito de se sentirem ofendidos. Recebemos e-mails exigindo que tomássemos uma providência.

R7 entrou em contato com a assessoria do ex-ministro, que até a publicação desta reportagem não retornou contato.

Anúncios

Sobre Diego Moura

Jornalista com experiência em comunicação corporativa na área de mineração e assessoria de imprensa em organização pública. Um dos autores do livro-reportagem "Não foram apenas as unhas - As mulheres no inferno da ditadura". Atualmente, tem interesse em trabalhos em redação e cobertura jornalística. É autor do blog "Textos para pensar".
Esse post foi publicado em Cotidiano, Jornalismo, Mídia, Política e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s